Detalhes da Notícia

Detalhes da Notícia

Transporte de cargas não tem restrição de tráfego, afirma presidente do Sindisan
02 Abril

Transporte de cargas não tem restrição de tráfego, afirma presidente do Sindisan

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Comercial de Carga do Litoral Paulista (Sindisan), André Neiva, falou à coluna Cais das Letras sobre o cenário que os transportadores enfrentam diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Segundo ele, não se verifica nenhuma restrição de tráfego e os pátios reguladores estão cheios.

Cais das Letras – Como estão as operações de logística, como a distribuição de mercadorias?
André Neiva – Até o momento não recebemos relato de associados com restrição de tráfego. O Porto [de Santos] está funcionando normalmente, os pátios reguladores estão cheios. Apenas há relatos de empresários que não têm recebido suas cargas de importação. Houve uma baixa no volume de transporte de mercadorias e a tendência é que o movimento caia mais.

O senhor acredita que a pandemia trará reflexos ao setor?
A pandemia vai impactar a movimentação no porto. O País vai sentir muito mais com a recessão. Estamos em contato com a federação do nosso setor, com o Ministério da Infraestrutura, em colaboração com o governo.

E como está a questão dos trabalhadores envolvidos nessas atividades?
A federação do setor [Federação das Empresas de Transportes de Cargas do Estado de São Paulo] está realizando uma campanha para proteção dos trabalhadores, envolvendo associados e o Ministério do Trabalho. O governo federal proibiu desembarque de passageiros, tripulantes. Há vários navios cujas escalas foram canceladas, assim como os terminais não vão receber contêineres aguardados.

Mas a atividade econômica precisa continuar, com os devidos cuidados de saúde. O País precisa ponderar isso, pois já passamos por crise pior, e logo os países vão retomar as atividades.

O Sopesp [Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo] e o Sindestiva [Sindicato dos Estivadores do Porto de Santos] já tomaram consciência de que é melhor não parar as atividades. Os trabalhadores serão atendidos nos seus pedidos de cuidados com a saúde. É preciso ter bom senso dos dois lados. Serão discutidos com os sindicatos ajustes de salário e carga horária, para que não seja necessário demitir trabalhadores.

 

Fonte e imagem: https://portogente.com.br/cais-das-letras/111608-transporte-de-cargas-nao-tem-restricao-de-trafego

Por: Márcia Costa - Portogente